Call for papers: Conference ‘Flâneur – New urban narratives’

flaneur1A
Call for papers_eng       |         Call for papers_por

 

A Procur.arte, o CIAC/UAlg, o DINÂMIA’CET-IUL / ISCTE – IUL e o IHA/FSCH-UNL vão organizar em conjunto a conferência “Flâneur – Novas narrativas urbanas”, em Lisboa no Teatro São Luiz, em Maio de 2015.
Esta conferência será um momento chave da programação do projecto “Flanêur” – projecto de arte no espaço público que tem por base a fotografia contemporânea, o território urbano e o trabalho em rede – que, a partir de Lisboa, se disseminará internacionalmente.
Marcando assim o lançamento público dessa iniciativa, esta conferência pretende propiciar uma reflexão conjunta entre académicos, artistas e curadores.
As reflexões produzidas pelos participantes na conferência constituirão uma importante reserva de conhecimento para a implementação do projecto ao longo dos seus dois anos de programação.
A conferência terá lugar em Lisboa, no Teatro São Luiz, nos dias 12 e 13 de Maio e será estruturada a partir dos seguintes painéis temáticos:
Painel 1: A deriva urbana na Arte Moderna e Contemporânea
Coordenação: Giulia Lamoni e Margarida Brito Alves (IHA/FCSH-UNL)
Na sequência das dinâmicas do século XX, a relação entre as práticas artísticas e o contexto urbano continua a constituir-se como uma articulação particularmente produtiva – tal como mostram as designadas spatial practices que, através de diferentes estratégias, problematizam a cidade, estabelecendo o artista como um transeunte, um caminhante, um flâneur.
O objectivo deste painel é discutir criticamente os modos de formulação da figura do flâneur na Teoria da Arte e na Arte Moderna e Contemporânea.
As propostas de comuniçação podem abordar os seguintes tópicos, ainda que não sejam limitadas por eles:
– Inscrições do Flâneur na Arte Moderna e Contemporânea
– Dimensões de género nas spatial practices urbanas
– Perspectivas periféricas sobre a flânerie e outros modernismos
– O historiador de arte como flâneur
– Reformulações contemporâneas da dérive
– Flânerie
e problematização da cidadania / cruzamentos de fronteiras.
Painel 2: Cidade, Fotografia e Cinema – A representação do flâneurno audiovisual
Coordenação: Mirian Tavares e Ana Isabel Soares (CIAC/UAlg)
Através da abordagem das relações entre cidade, fotografia e cinema, este painel propõe-se a analisar o espaço urbano enquanto lugar de reconhecimento da fracturação do homem contemporâneo, o lugar de variadas experiências de vida e de constante esquecimento do outro, de nós mesmos, do que está ao nosso redor. A arte, de acordo com Lyotard, não diz o indizível, mas diz que não pode dizê-lo. Através da análise de filmes e de fotografia, propomo-nos examinar o modo de constituição do espaço urbano na arte audiovisual. O cinema, assim como a fotografia, não podendo dizer o indizível, mostra-o. O próprio acto da montagem, que essencialmente consiste na recomposição de fragmentos, revela uma dor que não pode ser sublimada, mas que habita os habitantes, embora seja frequentemente invisível na cidade.
As propostas de comuniçação podem abordar os seguintes tópicos, ainda que não sejam limitadas por eles:
– Cinema e Cidade – Discursos da Modernidade
– A concepção do flâneur como alteridade
Flanêrie e o século XIX – Cinema, Fotografia e Arte Moderna
– Inscrições do flâneur na História do Cinema
– O flâneur captado, ou suscitado pela/na Fotografia
Painel 3: Os territórios da flânerie: a experiência actual dos espaços públicos urbanos.
Coordenação: Pedro Costa e José Luís Saldanha (DINÂMIA’CET – IUL/ ISCTE – IUL)
Serão os centros urbanos os principais loci para o flâneur contemporâneo? Terá a cidade das margens substituído o centro? E será que isso introduz uma nova perspectiva sobre a cidade? O cosmopolitismo, a interculturalidade e a abertura cultural podem facilitar novas experiências urbanas a uma multidão de novos, diferentes e potenciais flâneursque se dirigem para os centros urbanos, mas também para as suas periferias. Por outro lado, o retorno à cidade, e as múltiplas camadas dos processos de revitalização, conscientemente ou não, envolvem os flâneurs (que muitas vezes podem ficar lost in translation…) nos processos de gentrificação e turistificação. Focando-se nos espaços públicos urbanos contemporâneos, este painel pretende discutir os “bairros” do flâneur e a forma como as condições sociais e morfológicas determinam actualmente a deriva urbana.
As propostas de comuniçação podem abordar os seguintes tópicos, ainda que não sejam limitadas por eles:
– É a cidade que constitui o flâneur? Espaço urbano, transgressão, criatividade e liminaridade.
– Experienciar e descodificar a cidade: a dérive como construção urbana de conhecimento.
– Bairros criativos, boémia e mecanismos de construção de reputação: os flâneurs como gatekeepers.
– Centros urbanos, margens e a experiência da cidade: o flâneur do centro para as margens ou das margens para o centro?
– Cosmopolitismo, abertura, e os olhos do flâneur: a construção social da imagem urbana.
– Revitalizações urbanas: alterar a experiência da cidade, alterar a percepção da cidade.
Flânerie, turistificação e gentrificação da cidade.

 

Chamada para comunicações
As propostas de comunicação deverão ter a forma de um resumo (entre 300 a 500 palavras, excluindo as referências), explicitando a sessão a que se dirigem, e ser acompanhadas por uma curta biografia do autor, na qual se indique a sua entidade de afiliação e contactos. Todos os elementos deverão ser redigidos em inglês e enviados, até 22 de Fevereiro de 2015, para:   flaneur.conference@gmail.com
A notificação da aceitação das comunicações será feita até 10 de Março de 2015.
Comissão científica:
Pedro Costa e José Luís Saldanha (DINÂMIA’CET – IUL/ ISCTE – IUL);
Margarida Brito Alves, Giulia Lamoni e Nuno Crespo (Instituto de História da Arte/FCSH-UNL);
Mirian Tavares e Ana Isabel Soares (CIAC/UAlg).

 

 

————————————————————–

flaneur1A

The Conference “Flâneur – New urban narratives”, organized by Procur.arte and the research centres CIAC/UAlg, DINÂMIA’CET – IUL/ ISCTE – IUL and IHA/FSCH-UNL, will take place at the Teatro São Luiz in Lisbon on the 12th and 13th of May 2015.
This conference constitutes one of the key moments of the European project “Flâneur” – an International art project which encourages photographers and writers to explore the urban territory with a new approach to enable a fresh look on the dynamics of European cities and their geographic and social landscapes.
Launching this initiative, the conference will promote discussion between academics, artists and curators and will be articulated in three discussion panels. It will be open to the public and to the participation of network partners.
Panel 1: Rethinking the city walk in modern and contemporary art
Coordination: Giulia Lamoni and Margarida Brito Alves (IHA/FCSH-UNL)
In the wake of 20th century dynamics, the articulation between artistic practices and urban environment is yet strongly productive – as is shown by the extensive spatial practices that, through so many different strategies, keep addressing the city, and establishing the artist as a walker.
The main goal of this panel is therefore to critically discuss the modes of configurations of the city walker in modern and contemporary art, in art theory and in art historical narratives.
Proposals for papers can address, but are not limited to, the following topics:
– Inscriptions of the flâneur in modern and contemporary art
– Gendered dimensions of urban spatial practices
– Peripheral perspectives on flânerie and other modernisms
– The art historian as flâneur
Contemporary actualizations of the dérive
– Flânerie
and the problematization of citizenship and border crossing
Panel 2: City and Cinema – the representations of flâneur in the audiovisual
Coordination: Ana Isabel Soares  + Mirian Tavares (CIAC/UAlg)
This panel proposes to analyze urban space as the place for the recognition of the fracturing of the contemporary man, through the relations between city and the arts of film and photography. Urban space in films is seen as the place for various experiences in life and for the constant forgetting of the other, of ourselves, of what lies around us. According to Lyotard, art does not say the unsayable, but it says it cannot say it. Through films and photographs we propose to examine the way in which urban space is put together. Photography, as cinema, which cannot say the unsayable, attempts to portray it. The very act of film editing, which essentially consists of recomposing fragments, reveals a pain that cannot be sublimated, but which inhabits the inhabitants, although it is frequently invisible in the cities.
Proposals for papers can address, but are not limited to, the following topics:
– Cinema and the city – discourses of modernity
– The flâneur as alterity
Flanêrie and the 19th century – cinema, photography and modern art
– Inscriptions of the flâneur in film history
– The flâneur captured, or elicited in/by photography
Panel 3: Territories of flânerie: experiencing urban public spaces today
Coordination: Pedro Costa + José Luis Saldanha (Dinamia’CET)*
Are city centers the main loci for the contemporary flâneur? Have the margins of the city taken over its center? And will that bring a new perspective on the city? Cosmopolitanism, interculturality and cultural openness may facilitate new urban experiences for a multitude of new different potential flâneurs that come to city centers, but also to all its peripheries. On the other hand, the return to the city, and the multiple layers of the revitalization processes involve flâneurs, whether they become aware of that involvement, or not (they may often be lost in translation) in the gentrification and touristification processes. Heterogeneity and diversity are fundamental for urban vibrancy, but the morphological and urban characteristics of the city are also undoubtedly decisive for the interests of the flâneurs. Focusing on contemporary urban public spaces, this panel will attempt to discuss the “neighborhoods” of the flâneur and the way urban social and morphological conditions determine the urban dérive processes today.
Proposals for papers can address, but are not limited to, the following topics:
– Is it the city that makes the flâneur? Urban space, transgression, creativity and liminality
– Experiencing and de-codifying the city: the dérive as the urban construction of knowledge
– Creative quarters, bohemia and reputation building mechanisms: flâneurs as gatekeepers
– Urban centers, urban margins and the experience of the city:  the flâneur from the center to the margins or from the margins to the center?
– Cosmopolitanism, openness and the flâneur’s eyes: social construction of the urban image
– Urban revitalization(s): changing city experience, changing city perception
Flânerie, touristification and gentrification of the city
Submission procedure:
Please send an abstract of 300 to 500 words (excluding references) and a short biography to flaneur.conference@gmail.com,indicating which panel you are submitting a proposal to. Both documents should be in English and include full name of the participant with current affiliation and full contact details.
Submission deadline:22 February 2015
Notification of acceptance:10 March 2015
Scientific committee: Pedro Costa and José Luís Saldanha (DINÂMIA’CET – IUL/ ISCTE – IUL);
Margarida Brito Alves, Giulia Lamoni, and Nuno Crespo (Instituto de História da Arte/FCSH-UNL
Mirian Tavares and Ana Isabel Soares (CIAC/UAlg).
For more information:
hpp://www.iha.fcsh.unl.PT
http://www.procurarte.org/acao/flaneur-novas-narrativas-urbanas-conferencia-internacional/